Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/customer/www/mindfulnessalvador.com/public_html/wp-content/plugins/timetable/timetable.php on line 1361
Os Treze Porquês (Thirteen Reasons Why) e o Mindfulness – Mindfulness Salvador

Facebook

Blog

Social

Blog

Mindfulness Salvador > Mais  > Os Treze Porquês (Thirteen Reasons Why) e o Mindfulness
13 porques

Os Treze Porquês (Thirteen Reasons Why) e o Mindfulness

Bom dia Gente!

Tem poucos dias eu terminei de ver a série Os Treze Porquês da Netflix. Eu tinha vindo do I Simpósio Norte Nordeste de Prevenção e Posvenção a Suicídio e apesar do assunto me interessar, foi a primeira vez que tive contato profissional. Abrindo parêntese para dizer que foi um excelente simpósio, além de ter tido o prazer de conhecer e assistir a um curso de 8hs do professor Netto Berenchtein. Mas tomando o rumo inicial da prosa, na mesma semana que sai do Simpósio já comecei a assistir a série e fui profundamente atingido pelo que a série propõe para a sociedade discutir.

Não cabe a mim aqui fazer qualquer relato da narrativa (Até porque eu não gosto. Sequer leio sinopse), mas destaco a idéia muito criativa do autor Jay Asher, de apresentar todo um enredo a partir de um segredo que não pode ser contado para ninguém e, com imensa dificuldade, de ser tratado entre os envolvidos. Não me darei ao trabalho de buscar um artigo ou livro que fale sobre o suicídio ser um tabu dentro da família (os sobreviventes) e na sociedade porque basta qualquer um digitar na internet “Suicídio tabu” que o Google vai apresentar muitos ângulos sobre esse mesmo ponto de vista. Os prejuízos de se ter um assunto de relevante importância sendo conversado de forma velada, é a desinformação e consequente incapacidade de lidar seja através de uma perspectiva social de prevenção e posvenção, seja na perspectiva familiar de um caso ocorrido com um ente próximo e por fim, o que você, como indivíduo, pode fazer se você é uma pessoa que tem ideação suicida. Se uma das intenções era trazer à tona o assunto, contribuiu bastante para isso. Tanto pelo seu apelo midiático (A Netflix é uma empresa de entretenimento com interesses explícitos voltados para o capital), tanto quanto pela sua abordagem, roteiro e etc.

E o Mindfulness pode ajudar a pessoas com ideação suicida?

Eu nunca fui procurado por ninguém e mesmo que fosse procurado não faria qualquer tipo de trabalho porque me considero inabilitado. Mas fiz uma pesquisa e encontrei algumas coisas que são relevantes trazer aqui para o Blog. Existe pouca coisa em português, mas fui feliz em achar o artigo USO DA TERAPIA COGNITIVA BASEADA EM MINDFULNESS NA PREVENÇÃO DE RECAÍDA PARA PACIENTES COM DEPRESSÃO: REVISÃO SISTEMÁTICA. (Mais feliz ainda por serem professores da Bahia) escrito por Micael Santana Rizzuti*, Gustavo Marcelino Siquara** e Neander Silva Abreu***. Eles estudaram 9 artigos de diversos países no mundo sobre o tema que intitula o documento e fizeram também conclusões sobre a possibilidade do uso do MBCT na diminuição do risco de suicídio. Coloco abaixo, sem alterações, o trecho que trata sobre o tema:

“Avaliaram-se a depressão, preocupação, ruminação, ideação suicida e habilidades de Mindfulness. Estas habilidades de Mindfulness estão relacionados a abertura e não julgamento diante situações. Foi percebida diminuição significativa da ideação suicida do grupo clínico. Essa diminuição se demonstrou independente de mudanças na depressão, ruminação ou habilidades de Mindfulness. As alterações nos níveis de preocupação, adquiridos no treino de Mindfulness devido o foco no tempo presente, não se preocupando com o futuro, foram importantes para esta mudança e o tamanho do efeito. Esses dados corroboram os dados de outros artigos como no de Watkins citado por Forkman (2014) e em Kerkhof & Spijker (2011) em que preocupação pode disparar cadeias de pensamentos suicidas. Além disso, sugere-se que a redução da ideação suicida pode ocorrer devido ao aumento do sentimento de pertencimento social. Esse sentimento se adquire na prática da MBCT devido o treinamento na Mindfulness ser realizado em grupos (Forkmann et al., 2014; Segal, Williams & Teasdale, 2002)”.

Vale ressaltar que esse estudo é na aplicação do MBCT (Mindfulness-Based Cognitive Therapy), Terapia Cognitivo Comportamental baseado em Mindfulness e não no MBSR(Mindfulness-based stress reduction), Redução de Estresse baseado em Mindfulness, programa amplamente utilizada por todo o mundo.

Vocês podem encontrar o artigo original no link: https://www5.bahiana.edu.br/index.php/psicologia/article/view/1044/820 e a série no Netflix.

Boa série e boa leitura! Até mais!

* Graduando em psicologia na Universidade do Estado da Bahia – UNEB. Salvador, Bahia, Brasil.

** Doutorando em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia. Professor na Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.

*** Professor na Universidade Federal da Bahia. Coordenador do Laboratório de pesquisa em Neuropsicolgoia Clínica e Cognitiva. Salvador, Bahia, Brasil.

Paulo Henrique Luz

No Comments

Leave a reply